Rexona vence Superliga Feminina 2016/2017

Rexona vence Superliga Feminina 2016/2017 - Alexandre Loureiro/Inovafoto/CBV

Rexona-Sesc e Vôlei Nestlé/ Osasco se encontraram na manhã desde domingo (23) no Rio de Janeiro para a grande decisão da Superliga Feminina de Vôlei 2016/2017. Donas das duas melhores campanhas na fase de classificação, as equipes protagonizaram uma empolgante partida decidida apenas no tie-break. Com parciais de 25/19, 23/25, 25/22, 18/25 e 15/06, Rexona-Sesc vence Superliga Feminina pela 12º vez.

A torcida que lotou a Jeunesse Arena desde às 10h deste domingo foi um espetáculo a parte. Primeiro foram os fãs do Rio de Janeiro que, em casa, em grande maioria, vibraram com o início esmagador do time do técnico Bernardinho. Depois, no quarto set, quando o Osasco abriu ampla vantagem as torcedoras da equipe paulista fizeram da arena carioca a sua quadra. Uma festa merecida para uma grande partida.

Estou muito feliz de ter conseguido ajudar. O que vale é o grande espetáculo. Parabéns para todo mundo. Vamos curtir!”, declarou Juciely.

Decisão da Superliga Feminina: Rexona x Nestlé

A torcida ainda se acomodava na arquibancada quando o time de Bernardinho abriu 7×2 no primeiro set. Imponente, o Rexona-Sesc não deu chance ao Vôlei Nestlé no começo da partida. Depois de duas pausas e ajustes, o time de São Paulo se encontrou em quadra e conseguiu equilibrar o placar quando a partida estava em 15/15. Contudo, o time da casa conseguiu se reencontrar e fechar o set inicial em 25/19.

As cariocas começaram bem o segundo set e abriram 11/7 no placar na decisão da Superliga Feminina 2016/2017, mas desta vez a reação do time de Osasco foi melhor. Tandara empatou em 12/12 em bloqueio. Em ataque para fora de Drussyla o Vôlei Nestlé passou a frente no placar em 14/15. Nova reação do Rio de Janeiro levando a partida para 22/21. O técnico Luizomar pediu tempo e conseguiu ajustar o time para virar o placar e fechar o set em 22/25, equilibrando a partida em 1×1.

Terceiro set seguiu igual aos anteriores com o Rio de Janeiro partindo para cima e abrindo 8/5. Novamente o técnico do Vôlei Nestlé precisou de uma pausa para ajustar o time e levou o Osasco ao empate. A partida seguiu equilibrada, ora Osasco à frente, ora era Rexona. Quando a partida estava em 22/22 as meninas do time carioca estavam mais inteiras e consolidaram o set em 25/22.

Diferente do equilíbrio visto nos três primeiros sets, o quarto set foi de supremacia do time de Osasco. Com vários erros da equipe da casa o Vôlei Nestlé abriu 4/8. O Rio de Janeiro ainda ameaçou uma reação, chegando perto do empate, mas as paulistas estavam mais confiantes e abriram ampla vantagem em 9/16. O resultado acordou a torcida que se agitava bastante na arquibancada. Com o apoio, o time do técnico Luizomar fechou o set em 18/25, forçando o tiebreak.

O início do quinto set foi de total apagão do clube de Osasco. Juciely fez 7/2 para o Rio de Janeiro, enquanto as paulistas pareciam bater cabeça em quadra. A partir daí parecia que o Vôlei Nestlé sentiu o resultado e, sem forças, não conseguiu reagir e viu o Rexona-Sesc conquistar o penta campeonato seguido e 12º título da Superliga Feminina.

“Faltou um pouco de energia no time em alguns momentos da partida. A Juciely foi incrível no tie-break. Foi incrível a forma como o time soube superar as dificuldades. Foi uma vitória fantástica”, comemorou o técnico Bernardinho.

Drussyla foi eleita a melhor jogadora da decisão. “Hoje estava um pouco nervosa, mas o apoio das meninas foi tão grande que me deu essa coragem de atacar, essa confiança”, concluiu a jogadora do Rexona-Sesc.

As escalações:
Vôlei Nestlé/ Osasco: Dani Lins, Malesevic, Bjelica, Nati, Tandara, Bia e a líbero Camila Brait
Rexona-Sesc: Gabi, Juciely, Roberta, Monique, Carol, Drussyla e a líbero Fabi

Deixe uma resposta